Município

Paracambi – Rio de Janeiro

Período de realização

Fase I – 2006 – 2007  
Fase II – 2010 – 2012

O Programa de Conservação da Mata Atlântica de Paracambi realizou, nas duas fases do projeto, ações voltadas para o fortalecimento da preservação e recuperação da Mata Atlântica, tendo como base metodologia participativa que envolveu diversas esferas do poder público e das comunidades.

O Programa teve seis metas:

  • Criação de um conselho executivo de acompanhamento das ações. Foi preciso identificar e mobilizar os atores sociais para que também monitorassem metas e recursos aplicados durante a execução do programa. O fortalecimento do conselho, ao longo do processo, ocorreu com capacitação e visitas de campo. Dessa forma, nas reuniões mensais, havia subsídios, força e conhecimento para avaliar as ações sob diferentes e necessárias perspectivas.
  • Reforma do Horto Municipal Chico Mendes, ampliação da produção de mudas nativas, incentivando a coleta de sementes na área rural e na unidade de conservação municipal.
    A nova estrutura do Horto teve como base o conceito de construções sustentáveis. O prédio administrativo foi construído com tijolos de concreto vazado para manter o ambiente mais refrigerado, o que contribui para a redução do uso de energia elétrica e de matérias-primas, uma vez que não foram revestidos com cimento e argamassa.
    As calçadas foram feitas de pisos intertravados que permitem que a água da chuva se infiltre no solo. Há ainda sistema de captação de água de chuva feita por calhas acopladas ao telhado, armazenada em três caixas d’água com capacidade de cinco mil litros cada uma. Essa água é utilizada no sistema de descargas dos banheiros, para oxigenar o lago artificial, irrigar as mudas do viveiro e da horta orgânica.
    No quiosque, espaço educador onde são feitas dinâmicas e atividades de educação ambiental, a estrutura teve a base feita de madeira de reflorestamento certificada (eucalipto) e telhas verdes.
    No galpão de produção de substrato, se realiza a mistura do composto usado para enchimento dos sacos plásticos que recebem sementes para a produção de mudas. O viveiro de mudas tem 350 m² coberto com sombrite. Esse espaço tem capacidade para produzir três safras de até 40 mil mudas por trimestre, totalizando 120 mil mudas por ano.
    O sistema de irrigação das mudas é feito por microaspersão que, além de distribuir a água de maneira uniforme, favorece a redução do uso desse recurso natural. A área de aclimatização recebe as mudas para que se adaptem a condições climáticas semelhantes às que irão ter no campo, o que diminui significativamente perdas.
    O resultado da construção proporcionou funcionabilidade, beleza, produção das mudas em escala. Após a reforma, o Horto Municipal passou a ser um espaço qualificado para a apresentação do Bioma Mata Atlântica, além de importante espaço educador.
  • Reflorestamento de 40 hectares de áreas degradadas – 20 hectares em Áreas de Proteção Permanente e 20 hectares na margem da faixa de segurança dos dutos da empresa, com produção de hortaliças orgânicas.
    A dificuldade de chuva no período de plantio, a produção tardia das mudas, que só ocorreram após o término das obras do horto municipal, impôs a compra de mudas no mercado, não prevista na planilha orçamentária inicial do programa, o que demandava autorização da empresa. A situação foi resolvida com o empréstimo, pela Onda Verde, de 40 mil mudas. Isso evitou a paralisação das ações. No total, 80 mil foram plantadas.
  • Incentivo e apoio à criação de Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN’s), por meio da promoção de reuniões expositivas com proprietários rurais sobre as práticas que podem ser desenvolvidas nas propriedades. O objetivo foi a criação de 10 Unidades de Conservação Privadas, fortalecendo e ampliando a cobertura vegetal do município, e criando uma rede estadual de proprietários de RPPN’s. Dessa forma, além de preservar a cobertura vegetal, podem se beneficiar de recursos de medidas compensatórias e ampliar a base de arrecadação do ICMS verde do município.
  • Implantação de hortas orgânica em faixa de dutos da empresa. A ação, além de garantir a segurança e integridade dos dutos, produz alimentos orgânicos destinados para a merenda escolar e creches municipais.
    Os canteiros das hortas orgânicas foram implantados na faixa de duto da empresa, por onde passam, pelo subsolo, derivados de petróleo.  Neles, foram cultivadas hortaliças como alface, couve, chicória, cenoura, beterraba, cebolinha, coentro, cheiro-verde, tomate, couve-flor, jiló, berinjela e pimentão.
    A produção das hortaliças foi definida em parceria com a nutricionista da Prefeitura e relacionada, principalmente, à merenda escolar.
    A produção de 34 canteiros foi destinada para sete escolas municipais, duas creches e para o Hospital Municipal. Com a doação desses alimentos, houve melhoria na qualidade alimentar das instituições envolvidas.
    Esta meta foi uma referência nacional visitada por coordenadores de faixas de dutos do Brasil e referendada nas políticas sociais da Petrobras.
  • Fortalecimento do sistema de fiscalização ambiental realizado por inspeções semanais em conjunto com a Brigada Florestal e a Guarda Municipal. Os objetivos desta ação foram impedir a ocupação irregular da faixa de dutos, combater queimadas nas áreas que estão sendo reflorestadas e o controlar os animais.
    Esta meta foi algo inédito na relação entre um órgão ambiental municipal e a Transpetro. Geralmente, os responsáveis pela gestão ambiental não se relacionam com a empresa, deixando que ocupações irregulares ocorram, prejudicando a segurança e integridade dos dutos.
    A Onda Verde criou uma metodologia para ser replicada em outros municípios que envolveu diversos órgãos e setores da sociedade civil na fiscalização e no controle. Para dar agilidade às ações de campo, a equipe utilizou uma motocicleta e binóculos para monitorar os invasores e os animais colocados nas áreas para pastagem. Assim, era possível identificar e controlar os princípios de incêndios mais facilmente, além de acionar a Guarda Municipal para recolher, quando necessário, animais para o depósito público.
    As comunidades envolvidas com o projeto recebiam semanalmente visita das equipes de campo, que informavam sobre procedimentos para controle de focos de incêndios e entregavam folheto com as informações do projeto. A fiscalização das áreas era feita duas vezes por semana. Sem esse sistema de monitoramento, controle e educação ambiental, dificilmente as mudas sobreviveriam, o que significa que parte dos investimentos se perderia nas queimadas e no pastoreio dos animais.

Meta transversal  - A educação ambiental é uma meta transversal fundamental para as diversas ações do programa, que possibilita a integração dos três principais atores: o governo municipal, a sociedade civil e o setor produtivo.

Primeiramente, foi feito um diagnóstico completo dos três setores para saber como eles estão trabalhando a questão da educação ambiental em suas atividades cotidianas.

Para as empresas interessadas, criamos um pacote de palestras e atividades direcionado a funcionários sobre desperdício e consumo consciente. Com as escolas, incentivamos ações locais e organizamos uma programação de atividades realizadas em diversos lugares da cidade: visitas guiadas nas trilhas do parque municipal; oficinas no Horto Municipal, que vai desde a seleção de sementes até a identificação das árvores existente no bosque do horto.

Nas comunidades que se relacionam com áreas de reflorestamento, trabalhamos com a “educomunicação”, que envolveu a rádio comunitária, distribuição de panfletos e palestras nas associações de moradores. Tudo de forma direta e objetiva para que todos entendessem a importância de se manter e preservar as nascentes e áreas de proteção permanentes.

As professoras da rede municipal participaram de capacitação para a construção de planos de aula com a temática ambiental, o que geralmente não ocorre nas aulas da rede pública.

No primeiro ano do projeto mais de 4.300 estudantes e 120 professoras  participaram das diversas atividades no horto municipal e na horta orgânica atuando diretamente na colheita das hortaliças, no plantio das mudas e nas visitas guiadas ao Parque Municipal.

Na segunda fase realizamos novas atividades para 2.700 estudantes da rede pública e a ampliação da relação com as comunidades do entorno da faixa de dutos.

Projetos e Programas

A Onda Verde atua em diversos municípios com ações de educação ambiental, restauração florestal, apoio a pesquisas científicas, construções sustentáveis e fortalecimento de políticas públicas do setor ambiental para preservar a Mata Atlântica e os ecossistemas urbanos através dos seus projetos. Todas as ações visam à modificação de valores e de comportamentos, contribuindo para melhoria da qualidade de vida das pessoas e diminuição de impactos gerados no ambiente. Confiram os projetos já realizados e em execução.

Realizados Em Execução

Contato

 (21)  2779-4563

 ondaverde@ondaverde.org.br

Copyright © 2017 Entidade Ambientalista Onda Verde. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre liberado sob os termos da Licença Pública Geral GNU.